Banner

Centrais de notificação, capacitação e distribuição de órgãos. Entenda como funcionam

1. O receptor preenche uma ficha e faz exames para determinar suas características sangüíneas, estatura física e antigênicas (no caso dos rins).

2. Os dados são organizados em um programa de computador. A ordem cronológica é usada principalmente como critério de desempate.

3. Quando aparece um órgão, ele é submetido a exames e os resultados são enviados para o computador.

4. O programa faz o cruzamento entre os dados de doador e receptor e apresenta dez opções mais compatíveis com o órgão.

5. Os dez pacientes não são identificados pelo nome para evitar favorecimento. Só suas iniciais e números são mostrados. Nesta etapa, todos os profissionais da central têm acesso ao cadastro.

6. O laboratório refaz vários exames e realiza outros novos com material armazenado desse receptor. Nesse momento, o receptor ainda não é comunicado.

7. A nova bateria de exames aponta o receptor mais compatível. Nessa etapa, o acesso ao cadastro fica restrito à chefia da central.

8. O médico do receptor é contatado para responder sobre o estado de saúde do receptor. Se ele estiver em boas condições, é o candidato a receber o novo órgão. Se não estiver bem de saúde, o processo recomeça.

9. O receptor é contatado e decide se deseja o transplante e em que hospital fará a cirurgia.

Fonte: Central de Notificação, Capacitação e Distribuição de Órgãos – CNCDOs

 

Central de Transplantes do Ceará
Localização
Secretaria da Saúde do Estado do Ceará
Av. Almirante Barroso, 600, Praia de Iracema
CEP: 60.060.440 – Fortaleza, CE
Contatos: (85) 3101-5238 / 3101-5255
CENTROS TRANSPLANTADORES

 

Doe de Coração | Twitter
Portal Unifor | Fundação Edson Queiroz | Central de Atendimento
Fundação Edson Queiroz todos os direitos reservados