Banner

Doe de Coração | Números do Ceará em 2016

Pela primeira vez na história, o Ceará inicia o mês das doações de órgãos e tecidos com mais de mil transplantes realizados no ano. A marca de 1.047 transplantes no Estado em 2016 reveste de significado a celebração do Setembro Verde, referência à cor do laço símbolo mundial da doação de órgãos e tecidos para transplantes. Em 2015, quando foi estabelecido o recorde de 1.433 transplantes no ano, o mês de setembro começou com 915 transplantes realizados entre janeiro e agosto. Os 386 transplantes que faltam para igualar o número do ano passado prenunciam mais uma superação de recorde no Ceará em 2016.

 

Em relação ao ano passado, no período de janeiro a agosto, é maior o número de transplantes de coração, pulmão, medula óssea e córnea em 2016. Este ano já são 168 transplantes de rim, 23 de coração, 128 de fígado, 3 de pâncreas, 55 de medula óssea (38 autólogos e 17 alogênicos), 663 de córnea e 7 de esclera.

 

Esses resultados foram possíveis devido em grande parte ao crescimento das notificações de potenciais doadores e à diminuição dos não doadores. De acordo com o Registro Brasileiro de Transplantes (RBT), no primeiro semestre de 2015 o Ceará fez 260 notificações de potenciais doadores e 293 no mesmo período deste ano, incremento de 12,7%. Entre as causas da não concretização das doações, as recusas familiares diminuíram de 43% de 150 entrevistas realizadas em 2015 para 38% de 186 entrevistas com famílias de potenciais doadores em 2016. Com isso, a projeção de doadores efetivos saltou de 19,0 por milhão da população/ano (pmp/ano) em 2015 para 24,3 pmp/ano em 2016, proporção maior que a registrada em todo o ano passado, de 23,5 pmp/ano.

 

Fonte: Central de Transplantes do Estado

 

relatório de transplantes no Ceará

 

Doe de Coração | Twitter
Portal Unifor | Fundação Edson Queiroz | Central de Atendimento
Fundação Edson Queiroz todos os direitos reservados